segunda-feira, julho 26, 2010

sábado, julho 24, 2010

Chega uma altura na vida em que nos damos conta de que quer
queiramos quer não, os problemas vão encontrar-nos, quer estejamos
a andar a 40 ou a 100km/h.


Andar devagarinho, com pezinhos de lã a medir cada passo que se dá
só nos tira tempo, em que devíamos andar a velocidade de cruzeiro a fazer asneiras
e a curar as respectivas feridas.

E como diria o Michael Jackson, "that's bad".


(quer dizer, ele diria antes "I'm bad" mas vocês percebem aonde eu quero chegar)

sexta-feira, julho 23, 2010

Estou a ler uma sebenta com tantos erros ortográficos que até me ardem os olhos.

sábado, julho 17, 2010



E não é que ele tem razão?

sexta-feira, julho 16, 2010

Há palavras que doem sem se saber porquê.
Há palavras que doem fisicamente.

Há coisas que se sentem sem se dizer.
Há coisas que se dizem sem se sentir.

Há coisas que, para serem, têm de ser ditas.
Caso contrário, nunca serão realmente.


(Nota: nem tudo o que eu escrevo é autobiográfico, ok?
Vamos lá acalmar essas cabecinhas ;))



Voltei a ver isto

terça-feira, julho 13, 2010

Eu sou a favor de levar mais saúde a todas as pessoas, de chegar aos sítios mais inóspitos, de aproximar os médicos aos pacientes, vejo a urgência de maior e melhor informação de saúde para a população, mas isto já me parece ser demais.

Através de um talk show como a Oprah não me parece estarmos propriamente a ajudar, mas sim a descredibilizar a profissão de médico, ainda para mais apresentando um dito cirurgião que tem mais de modelo e de "entertainer" do que de profissional.
Posso estar a ser mentecapta, mas não consigo levar uma pessoa destas a sério, e o
verdadeiro perigo desta suposta "informação para todos" é o evento da auto-medicação,
que muitas vezes pode ser mais perigosa do que a própria doença, se não tivermos em conta todo o historial genético, medicamentoso, psicológico, social e profissional do paciente.

Para além deste talk-show, este cirurgião cardiotorácico tem também vídeos de cirurgias (eu descobri uma reconstrução da válvula mitral) no youtube, e faz também uma "tour" chamada "Highway to Health" (mais uma vez, um nome totalmente profissional e que incute imensa confiança) num autocarro, parando em várias terras, onde faz consultas personalizadas a quem queira lá ir. Tudo isto num estilo aparatoso, à boa maneira americana, em que as consultas são "amazing", e o cenário é "amazing", e tanto se descredibiliza o doente como o médico.

O obectivo da profissão médica deve ser tratar e não vender.
A passagem por um "talk show" da televisão generalista americana, inserida na cultura tablóide e exagerada desta população remete-nos logo para o segundo, relegando o principal objectivo da profissão para segundo plano.

Vejam por vocês mesmos aqui:

segunda-feira, julho 12, 2010



Sangue latino, o que é que se pode fazer? :P

domingo, julho 11, 2010

"Silêncio de paz rezada jaz no fundo dos atalhos"*

*Zeca Afonso

Coimbra, Julho 2010

quarta-feira, julho 07, 2010

Tenho cá para mim que há determinados sapatos em que mais valia andar simplesmente em bicos de pés.

(clicar para zoom)

quinta-feira, julho 01, 2010

Cuidados capilares e homens. Coisas que não combinam.


(tenho saudades do Chuck)