terça-feira, janeiro 26, 2010

Preciso neste momento de descarregar a raiva que tenho a pessoas irresponsáveis, crianças de 50 anos que não sabem arcar com as consequências do que fazem.Tudo bem que a vida lhes esteja a correr mal, tudo bem que a situação financeira não seja a mais favorável, mas não têm o direito de me culpar a MIM pela sua situação económica e pela sua má-gestão do que é seu. É uma falta de cultura, falta de educação, falta de civismo e falta de moral e discernimento culpar o próximo pelo que eu fiz a mim próprio. No fundo estou revoltada contra toda uma mentalidade do comprar a crédito (que alguem há-de arcar com as consequências- de preferência que não sejamos nós, que seja o país inteiro,quero lá saber, o que me importa é que me safo), do não pensar a longo prazo (mentalidade tão homem), da irresponsabilidade social e falta de noção do bem colectivo. O culto do chico-espertismo e da irresponsabilidade, e do esmagar os outros só porque sim,só porque posso. Um problema meu é um problema de todos! Não posso pensar só em mim se vivo em sociedade, e não hei-de ter ninguém a socorrer-me quando estiver em maus lençóis se não fizer nada por isso (mas que bela analogia que fiz ao sistema de saúde e ao funcionamento do estado, hã?).No dia em que o nosso país começar a pensar assim, talvez passemosa ter uma taxa de satisfação com os serviços de saúde de 70%, talvez a nossa qualidade de vida aumente, talvez o défice não tenha tanto adubo para crescer. Mas, para isso, minha gente, é preciso um sistema de ensino eficaz, não através de cursos de 75 horas, ou de diplomas obtidos a mais ou menos custo, mas através de um sistema justo e eficaz de avaliação, um sistema imparcial que nos permita ter as bases correctas para mudar a mentalidade de toda uma população.
Que nos permita uma solução final, porque, admitamos em abono da verdade, este país já está a transbordar de remendos.


E agora vou voltar, que a comida está a ficar fria.

1 comentário:

Eu? disse...

Porrada! Porrada!

Descarrega rapariga, faz-te bem.