terça-feira, maio 25, 2010

Sentado no café cinzento
beberica o café ao compasso molhado
das bátegas que fustigam a janela na
qual repousa a cabeça.

À sua volta, velhos insones folheiam
tristemente as páginas cansadas do jornal.

Mal sabia a tinta dos cartuchos das impressoras
do Diário de Notícias que daí a horas estaria
a percorrer a circulação capilar dos dedos
do senhor António, que depois se levantaria
vagarosamente deixando tilintar as moedas manchadas de tinra
ao embater na mesa de vidro,
sendo recolhidas distraidamente pelo empregado de mesa,
que dispensa a de mais baixo valor para
a neta, que passeia os olhos curiosos por aquele
ambiente suspenso,
qual aquário de gente da manhã,
e terminando no líquido salivar das suas parótidas.


Ainda dizem que as notícias não correm depressa.

2 comentários:

inês disse...

oi ? entao ag as miudas engolem moedas ? :D

Marcos Lemos disse...

Ficas criativa quando te privam do sono... :P