quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Depois de saber o resultado da cirurgia, a minha avó, maravilhada, diz-me que tinha de pagar a promessa a Santa Luzia Milagrosa. Como eu já a estava a ver a subir uma qualquer escadaria de joelhos, ou outra actividade contra-indicada às artroses do género, disse-lhe que achava que não, que ela não se importava.
Mas ao vê-la relutante, acabei por concordar, que nisto da religião fui doutrinada a anuir com um sorriso, sem levantar grandes ondas, ainda para mais com a minha avó, católica desde berço e por defeito. Já eu, sou infiel por defeito (atenção: em termos de teologia, porque nas relações humanas até tendo a ser bastante fiel).
Digo que a minha avó é católica por defeito porque não foi ensinada a ler nem a escrever, e muito do que o padre diz não faz grande sentido para ela. Gosta, sim, das analogias que este usa, mas desde que o pároco tem vindo a ganhar o gosto pelo sangue de Deus, estas têm rareado, ao passo que as orações saem arrastadas.
É que, sabem, o padre da freguesia da minha avó é, por defeito, bêbado.

4 comentários:

Marcos Lemos disse...

Isso dito assim, tenho a tendência a achar amoroso que um pároco tenha especial gosto pelo sangue de Deus! As melhoras para a tua avó! :)*

Ju* disse...

Nunca contraries uma pessoa religioso, especialmente se for velhinha! É bem capaz de te mandar para o inferno só com o olhar...

Já agora, gostava que me explicasses com é que em termos de relações, tendes a ser "bastante fiel"... Há alguma percentagem? Tipo, a partir dos 75% de fidelidade já se é bastante fiel? É que eu estava convencidíssima que uma pessoa é fiel ou não é fiel.

Ju* disse...

*religiosa btw.

blue.star disse...

claro, ju! há um barómetro de fidelidade 24/7. pensei que era de conhecimento público! ou terei falado demais?..ai..:S